Aos Pais

Bebês nascem, crianças crescem, adolescente se desenvolvem. Tudo isso num longo espaço de tempo, aparentemente curto, pois passa rápido demais, quando vê, já estão na fase adulta, dando início a sua independência.

Os pais, desde a primeira vez que colocam os olhos em seus filhos passam a zelar pela sua segurança e educação, sem deixar de cumprir com suas obrigações diárias, pessoais e profissionais. Sem negar suas necessidades próprias de distração, lazer e até mesmo intimidade. São muitos os compromissos dos quais seu filho ainda não pode participar, havendo assim necessidade de uma solução para que sua rotina não seja tão afetada.

sábado, 26 de maio de 2012


Mamãe

Você ensinou a se importar com as pessoas, a perceber seus sentimentos, e compreender seus problemas.

De tudo o que você ensinou, estas devem ser as coisas mais importantes, e são também as qualidades  que todos gostam em você.

Então, MÃE, queremos dizer que além de todos os dias serem seus, você significa muito para seus filhos, e não só porque você é MÃE, mas também por ser uma pessoa que é admirada por muitos.

FELICIDADES

sexta-feira, 18 de maio de 2012

HIGIENE CORPORAL

BANHO

A pele possui glândulas especiais que produzem suor, e outras que produzem outros tipos de secreções (nasais, horais, fecais). A consequência de um banho mal tomado é o aparecimento de vermelhidão na pela, além do odor desagradável, o risco de aparecimento de Escabiose e Pediculose, Micose, Seborreia, Infecções urinárias e Corrimento vaginal nas meninas.

O Banho é importantíssimo e é indispensável a saúde do corpo. Depois do banho, certifica-se que estejam bem limpos e secos os espaços entre os dedos, genitálias, virilhas e outras dobras.

A LIMPEZA DAS MÃOS
A higienização das mãos é a medida individual mais simples para prevenir a propagação de infecções. as mãos constituem a principal via de transmissão de microrganismos, que podem se transferir de uma superfície para outra, por meio de contato direto (pele com pele), ou indireto, através do contato com objetos e superfícies contaminados. a higienização das mãos apresenta as seguintes finalidades: Remoção de sujidade, suor, oleosidade, pelos, células descamativas e da microbiota da pela, interrompendo a transmissão de infecções veiculadas ao contato (transmissões cruzadas). É indispensável a lavagem das mãos sempre antes de comer, mexer em alimentos, ao chegar da rua e após ir ao banheiro. Não esquecendo que as unhas fazem parte das mãos é importante mantê-las sempre limpas e bem aparadas.

CABELO

Devem ser lavados (duas vezes por semana no mínimo), penteados e cortados regularmente para evitar o acumulo de poeiras e gorduras que precisam se eliminadas.

Essas precauções servem para não facilitar o aparecimento e a multiplicação de piolhos e patologias do couro cabeludo.

Existe hoje um pente com dente de aço que é próprio para eliminação de piolhos e lendias, claro sempre com o auxilio de um loção contra esses bichinhos indesejáveis.


HIGIENE ORAL
A higiene bucal é a melhor forma de prevenir cáries, gengivites, mau hálito e outros problemas na boca.

Uma boa escovação demora, no mínimo três minutos com movimentos verticais, horizontais e circulares.

Devem ser feitas no mínimo 3x ao dia e após cada refeição.

Não esquecendo o uso do fio dental, pois ele remove a placa bacteriana e remove os restos alimentares onde a escova não alcança.

Ir ao dentista regularmente para a verificação da higiene bucal realizada em casa.

ELIMINAÇÃO DE SECREÇÕES

Para evitar a transmissão de vírus e bactérias sempre ao tossir tampar a boca com o apoio do braço e nunca com a mão, pois ao tocar no seu amigo ou em algum objeto estará transmitindo vírus e bactérias assim disseminando as doenças.

Não dividir lenços e toalhas de pano, desprezar o papel sempre que utilizado na limpeza da boca e nariz.


AGORA ASSISTA UM VÍDEO ILUSTRATIVO QUE FALA UM POUCO MAIS DESTE ASSUNTO, E MOSTRE AS CRIANÇAS

video

sexta-feira, 27 de abril de 2012

DESENVOLVIMENTO DA CRIANÇA DE 6 E 7 ANOS

Características do Conhecimento           Orientações
 e Desenvolvimento
                                                            * Dar tempo para com-
* Maior amadurecimento neuro-         pletar as tarefas.
muscular.
                                                            * Dar oportunidades 
* Vocabulário até 2.500 palavras.       para usar a iniciativa,
                                                          deixando-a agir por si
* Faz pergunta sobre tudo que a          mesma.
rodeia. Tem iniciativa.    
                                                          * Encorajar a criança 
                                                                                                                                          tomar posse em
                                                                                                                                 grupos,mas não forçar                
                                  * Distingue melhor a realidade da fantasia.
                                                                                                                          * Contar e fazer contar
                             * Curiosidade sexual mais acentuada.                                   histórias.


             * Período de Transição entre individualismo e participação em             * Evitar chamar atenção,
           grupos maiores.                                                                                procurar colocar a criança à 
                                                                                                                   vontade. Evitar discussões.
  * Mostram alguns graus de pensamentos abstratos.


* Aumenta o poder de concentração da atenção.


* Conhece e usa palavras descritivas e de ação.


* Maior capacidade de compreender, discutir e enfrentar
situações emocionais.

quinta-feira, 26 de abril de 2012

Desenvolvimento Infantil


      Os primeiros anos de vida de uma criança são marcados por grandes transformações e descobertas. Aos poucos, os pequenos começam a entender o mundo em que vivem e aprendem a lidar consigo mesmos e com os outros. Para ajudar você a compreender melhor o universo infantil, preparamos alguns comportamentos de cada faixa etária.

0 a 3 anos
Ação que realiza               Comportamento         Como se comunica

No primeiro mês, reage       Desenvolve um tipo      Quando ouve a voz
perante barulhos muito         diferente de choro        dos pais, o bebê  vi-
altos e pode se assustar       para cada problema      a cabeça.
com o barulho inespera-      que se apresenta,
do.                                      como por exemplo,      Comunica-se através
                                           o constante e agudo      do choro e ruídos. Imita alguns sons
Passa boa parte do                                                  de vogal.
tempo dormindo.                 Com brincadeiras e        Neta fase, é importante organizar a rotina
                                           músicas o bebê fica        do bebê, tornando os horários das atividades
Seu sistema visual é             agitado, realizando          fixas, como por exemplo, trocar a fralda depois
limitado, portanto só           movimentos de pernas,     da mamada ou dar banho todos os dias na
enxerga algum objeto          braços, sorri e dá gri-       mesma hora.
ou alguém se estiver            tinhos.
bem próximo a ele.                                                      É importante que a rotina seja de forma
                                                                                   razoavelmente metódica.
no 2º ao 3º mês, o
bebê já começa a
acompanhar objetos
e pessoas com os
olhos e reconhece
os pais.

Abre e fecha as mãos,
leva-as à boca e suga
os dedos.

Segura objetos com
firmeza por certo tem-
po e consegue pegar
objetos suspensos.

4 a 7 meses

Fica na postura de                     Ri quando algo o agrada e quando          Movimenta a cabeça na direção
bruços e se apóia nos                o desagrada mostra raiva através            do som escutado. Pára de chorar
antebraços quando quer             da expressão facial.                                ao ouvir música.
ver o que está acontecen-
do ao seu redor.                         Nesta fase, alguns bebês podem            Sorri quando quer atenção do
                                                  demostrar medo perante pessoas           adulto.
Rola de um lado ao outro            estranhas.
                                                                                                               Formação do conceito de causa
Apresenta equilíbrio quan-          Fica repetindo os seus próprios              e efeito no momento em que está
do colocado sentado                  sons e imita as vozes das pessoas           explorando um brinquedo.
                                                  ao seu redor.
                                                                                                                Olha, chacoalha, e atira objetos
                                                                                                                ao chão.

8 a 11 meses

Engatinha e senta sem apoio.       Demonstra raiva quando não é o            Localiza a fonte sonora.
                                                   centro das atenções.
Consegue ficar em pé com                                                                       Bate palmas, joga beijo e entende
apoio.                                          Reconhece sua imagem no espelho       quando lhe dizem tchau.
                                                   e reage  com euforia.
Aponta para objetos ou                                                                           Começa a compreender o signifi-
pessoas.                                      Reclama quando é contrariado.             cado de alguns gestos.

Pega pequenos objetos com                                                                   Balança a cabeça quando não quer
o indicador e o polegar.                                                                          alguma coisa.  

                                                                                                              Fase do treino com monossílabas
                                                                                                              do tipo: "ma-ma, da-da, ne-ne".

1 a 2 anos

Andam sem apoio.                       Mostra senso de humor.                      Reconhece o próprio nome.
Com 1 anos e 6 meses pode         Nesta fase, o bebê ainda                     A partir dos 18 meses começa a
começar a correr, subir em           não compreende as regras,                   criar frases curtas.
móveis e ficar nas pontas dos       contudo charoa quando leva uma
pés sem apoio.                             bronca e sorri quando é o centro        A criança começa a formar frases
                                                     das atenções ou quando é elo-          com uma palavra,tipo:"nenê-papá
Vira página de um livro ou re-         giado.                                              nenê-naná", mas até o término do
vistas (várias aos mesmo tempo)                                                            ano constrói frases de até três pa-
                                                     Quando está bravo, pode atirar        lavras como: "quer ver tevê.
Gosta de rabiscar no papel.            objetos ou brinquedos.
                                                                                                             Esta é a fase das perguntas: "que é
Sabe quando uma ilustração            É possessivo. Prefere não com-       isso?"
está de cabeça para baixo.              partilhar brinquedos com as 
                                                       outras crianças.                               Usa o próprio nome.
                                                                                                              Reconhece as partes do seu corpo 
                                                                                                              e de outras pessoas.

                                                                                                              Apresenta atenção para histórias
                                                                                                              pequenas.

2 a 3 anos

Tira os sapatos, chuta bola             Apresenta percepção de quem é.      As frases vão aumentando e surge 
sem perder o equilíbrio.                  Mexe em tudo e faz malcriação,         o plural.
                                                      testando a autoridade de quem          As crianças nesta fase tem uma
Gosta de dançar, consegue             convive.                                            ótima compreensão, entendem tu-
acompanhar o ritmo da                                                                           do que é dito em sua volta.
música batendo palmas.                  Prefere companhia para brincar.
                                                                                                             Pergunta: "cadê", "O que", "onde".
Nesta fase a criança está                 Gosta de participar dos serviços      Fala de si mesma na 3ª pessoa.
pronta para abandonar o uso           de casa, como por exemplo, 
das fraldas.                                      arrumar a mesa do jantar.               Chama familiares próximos pelo
                                                                                                             nome.

3 a 4 anos

Consegue colocar suas rou-            Brinca com as outras crianças.      Constrói frases com até seis palavras
pas e tirá-las sem ajuda de              Apresenta interesse pelos senti-     sobre o dia a dia, situações reais e
um adulto.                                      mentos das pessoas que estão        pessoas próximas.
                                                      ao seu redor, por exemplo, se
Gosta de desenhar.                        perceber que seu pai está triste,      Compreende a existência de regras 
Nesta fase já consegue se-             procura confortá-lo.                       gramaticais e tenta usá-la.
gurar um lápis na posição
correta.                                                                                                É comum a troca do "r" pelo "l", a
Consegue pedalar.                                                                                qual acaba por volta dos 3 anos e  
                                                                                                            6 meses.

                                                                                                           Compreende os conceitos de igual e
                                                                                                            diferente.

                                                                                                           É capaz de separar os brinquedos 
                                                                                                           por tamanho e cor.
                                                                                                           Lembra e contam histórias.

4 a 5 anos

Consegue usar a tesoura,              Está mais sociável com as outras      Nesta fase o vocabulário da criança 
corta papel.                                  crianças.                                         aumentou bastante, já fala muitas pa-
                                                                                                          lavras.
Maior domínio no uso de              se sente grande perto das crian-
talheres.                                        ças menores.                                  Expressa seus sentimentos e emprega
                                                                                                          versos como "pensar" e "lembrar".
Consegue pegar a bola com           Sente vontade de tomar as suas
as duas mãos quando está              próprias decisões.                        Também fala de coisas ausentes e usa
em movimento.                                                                                  palavras de ligação entre as sentenças
                                                                                                         como por exemplo;"e então","porque" 
                                                                                                         "mas", etc.

                                                                                                         Gosta de inventar e contar as próprias
                                                                                                         histórias.
                                                                                                         Consegue identificar algumas letras do 
                                                                                                         alfabeto e números.

quinta-feira, 19 de abril de 2012

DIA DO ÍNDIO

video
          Índio, seus parentes são todos índios, uma língua diferenciada, cultura e costumes diferentes, pintam o rosto com genipapo e urucum, usam suas armas e seus artesanatos. Comem jacaré, tatu, anta, peixes, macaco, comem caiçumu, cipó.
Dançam Mariri, e cantam cantoria em sua língua.
Dentro da aldeia, cada um é dono de si próprio, são livres, tem sua liberdade. Ser índio é viver junto com sua família, com seus parentes, sua comunidade, cuidando da sua vida, é receber cada parente de braços abertos, e não ter diferença de sangue preto ou branco, é ser tudo igual.
Todo índio é trabalhador, plantador, caçador, índio não é brigador. índio é índio porque não tem cara de branco, seu corpo é diferente, o jeito de caminhar é diferente. O cabelo é liso, não tem muita barba, e nem pelos enrolado nos braços e nas pernas. Tem pelo liso no suvaco e na canela. São iguais e diferentes, diferentes na língua, jeito e costumes, igual no corpo, na inteligencia, no respeito, somos todos iguais, índio, negros e brancos, sentir ser índio, é não ter vergonha de ser índio na frente do branco, é sentir ser o primeiro habitante dessa terra, é sentir a floresta, rios, igarapé, tudo que pertence a natureza. os índios precisam ser respeitados, os índios são as raízes das florestas.

Datas Comemorativa

Carnaval - 2012

Visita a estatua da Anita Garibalde

Semana Cultural - Teatro UFSC 2012

Olha os coelhinhos

Hora de procurar a cesta que o coelhinho escondeu

Todo dia era dia de Índio

Índio fazer barulho, uhuhuh

quarta-feira, 18 de abril de 2012

Interação entre as crianças

A forma mais comum de incentivar a interação no dia a dia é dividir a turma em grupos. Mas é preciso garantir que essa forma de trabalho gere bons frutos. Infelizmente, ainda é comum os pequenos nem conversarem entre si até o professor dar orientações sobre o que fazer. O professor César Coll, do Departamento de Psicologia Evolutiva e da Educação da Universidade de Barcelona, na Espanha, desenvolveu uma teoria para explicar a influência positiva da relação entre os pequenos na escola - e a batizou de construção colaborativa do conhecimento. Segundo Coll, a aprendizagem se dá justamente no momento em que as crianças, no auge do conflito de idéias, precisam buscar soluções. Muita gente ainda acha que elas não vão conseguir encontrar conclusões coletivas baseadas em suas hipóteses individuais e que, portanto, o melhor é dar as respostas certas de uma vez. "Cabe ao educador compreender que também as crianças podem construir o saber, que o conhecimento não está apenas nas mãos dele", diz a consultora pedagógica de NOVA ESCOLA, Regina Scarpa. 

César Coll apóia sua teoria nas idéias do suíço Jean Piaget (1896-1980) e do russo Lev Vygotsky (1896-1934). "É necessário que o professor deixe de ser um mero conferencista e estimule a pesquisa e o esforço, em vez de se contentar com a transmissão de soluções já prontas", escreveu Piaget emPara Que Serve a Educação?, de 1973. Segundo ele, a criança não é um robô, que apenas retém as informações tal como elas lhe são apresentadas, mas um sujeito que interpreta o que a escola se propõe a ensinar. Em outras palavras, toda criança constrói o conhecimento intermediada pelo outro. 

Já Vygotsky diz que as interações sociais são as alavancas do processo educativo. Segundo ele, é essencial a turma travar contato com o maior número de pessoas, adultos e crianças, inclusive os colegas, numa relação de ajuda mútua. A você cabe o papel de ampliar o conhecimento, mas sempre partindo do que cada criança já sabe, com base em suas experiências prévias dentro e fora da escola. Escreveu Vygotsky: "Tanto quem ensina como quem recebe a informação aprende, pois, ao ensinar, o parceiro mais experiente reorganiza seu conhecimento e assim sabe cada vez mais".